“A busca da identidade e a descoberta do outro, numa verdadeira exaltação da paz.”

LISBOA | CINEMA SÃO JORGE | 5 OUTUBRO | 21H com a presença da equipa
LISBOA | INSTITUT FRANÇAIS DU PORTUGAL | 6 OUTUBRO | 18H45 (CINEMA DEGUSTATION) com a presença da equipa
LISBOA | INSTITUT FRANÇAIS DU PORTUGAL | 9 OUTUBRO | 21H45
FARO| TEATRO MUNICIPAL DE FARO | 17 OUTUBRO | 19H30
PORTO | RIVOLI TEATRO MUNICIPAL | 28 OUTUBRO | 21H30
COIMBRA | TAGV | 26 OUTUBRO | 21H

COM: Emmanuelle Devos, Jules Sitruk, Mehdi Dehbi, Pascal Elbé, Areen Omari, Bruno Podalydès | ARGUMENTO: Nathalie Saugeon, Lorraine Lévy, Noam Fitoussi | FOTOGRAFIA: Emmanuel Soyer | SOM: Jean-Paul Bernard | MÚSICA ORIGINAL: Dhafer Youssef | MONTAGEM: Sylvie Gadmer | PRODUÇÃO: Rapsodie Production, Cité Films | ORIGEM: França | VENDAS INTERNACIONAIS: Cité Films | ESTREIA EM FRANÇA: 28/03/2012

Presença em festivais
Fondation Diane et Lucien Barrière – Prémio Cinéma 2012

O filme
Ao entrar para o exército israelita, Joseph descobre que não é filho biológico dos pais e que foi trocado à nascença por Yacine, aquando de um bombardeamento que atingiu a maternidade onde nasceu. Joseph parte à procura desse outro rapaz, filho de uma família palestiniana, desencadeando um profundo revirar de identidades e convicções nos membros das duas famílias.

A realizadora
Argumentista e realizadora de cinema e televisão, Lorraine Lévy é também dramaturga e encenadora de teatro. Em cinema realizou os filmes La Première fois que j’ai eu 20 ans (2005) e Mes amis, mes amours (2008). Com Le Fils de l’autre apresenta uma inesperada leitura do conflito israelo-palestiniano e um hino à paz entre os povos.

Nota de intenções
“Foi a primeira vez que recebi pelo correio um projecto que me apaixonou imediatamente. Disse para comigo: «É uma história para mim.» Isto porque está em relação directa com as minhas próprias obsessões: que lugar podemos ocupar na nossa própria vida e na dos outros, que ligação mantemos com a infância, com a filiação…”

Sobre o filme
“Um filme à flor da pele, à flor dos sentidos. E provavelmente, porque não, um filme que nos torna melhores.”
Pierre Vavasseur, Le Parisien

“Um filme humanista, verdadeira apologia da paz, desempenhado por excelentes actores.”
Françoise Delbecq, Elle

“Tantos temas sensíveis abordados com justeza pela realizadora Lorraine Lévy, que observa como uma entomologista o comportamento de duas famílias entre Telavive e Gaza.”
Jean-Luc Wachthausen, Le Figaro