“As aventuras de um jornalista no meio da incrível selva da Palômbia…”

LISBOA | CINEMA SÃO JORGE | 6 OUTUBRO | 17H
LISBOA | INSTITUT FRANÇAIS DU PORTUGAL | 9 OUTUBRO | 19H45
PORTO | RIVOLI TEATRO MUNICIPAL |27 OUTUBRO | 18H30
COIMBRA | TAGV | 30 OUTUBRO | 21H

COM: Alain Chabat, Jamel Debbouze, Frédéric Testot, Géraldine Nakache, Lambert Wilson, Patrick Timsit  | ARGUMENTO: Alain Chabat, Jeremy Doner, segundo a obra original de André Franquin  | FOTOGRAFIA: Laurent Dailland | SOM: Pierre Excoffier, Jean Goudier, Samy Bardet, François Fayard, Thierry Lebon | MÚSICA ORIGINAL: Bruno Coulais | MONTAGEM: Maryline Monthieux | PRODUÇÃO: Chez Wam, Pathé Films, TF1 Films Production, Scope Pictures | ORIGEM: França, Bélgica | DISTRIBUICÃO: ZON Lusomundo | ESTREIA EM PORTUGAL: A estrear

O filme
O destemido repórter Dan Geraldo (Alain Chabat) regressa à Palômbia, um fantástico país da América do Sul, sem saber o que o espera. Sempre acompanhado pelo seu guia Pablito (Jamel Debbouze), Geraldo vai encontrar um botânico diabólico, um ditador com um segredo bem guardado, piranhas esfomeadas, uma tribo indígena… e sobretudo o mítico Marsupuilami, um animal destravado e saltitão que vive no meio da selva mas que ninguém sabe muito bem se existe!

O realizador
Alain Chabat tentou o mundo da banda desenhada, andou pelas ondas da rádio e da música e passou pela televisão onde, no final dos anos 80, fez parte do célebre trio humorístico francês Les Nuls. Estes estreiam-se no cinema com o filme La cité de la peur (1994) e depois Chabat continua a sua carreira de actor a solo em Gazon Maudit, filme de Josiane Balasko do mesmo ano. Em 1997 Chabat realiza a sua primeira longa-metragem, Didier, e entra ainda em Le Goût des autres (2000) de Agnès Jaoui. Misturando o cinema, a banda desenhada e o humor filma Astérix & Obélix: Mission Cléopâtre (2002) e dá a voz a vários dos filmes da série Shrek. Ccontinua a contracenar em diversos filmes até que apresenta este Sur la piste du Marsupilami, onde personagens reais vão à procura do mítico animal.

Nota de intenções do realizador
“O meu encontro com o Marsupilami deu-se por volta dos dez anos graças aos álbuns de Banda Desenhada concebidos por Franquin. (…) Hoje em dia ainda fico admirado com a sua modernidade, tanto a nível do desenho como dos textos. Quando era miúdo tinha um Marsupilami de borracha mas sonhava em ter um verdadeiro como amigo. Sobretudo quando um miúdo maior me batia no recreio.”

Sobre o filme
“Este Marsupilami dirige-se essencialmente às crianças. Elas vão adorar este bicharoco. Tudo transpira a comédia naif, espírito BD e gags amalucados.
Danielle Attali, Le Journal du Dimanche

“Este filme de aventuras é construído em torno do Marsupilami e concebido como homenagem a Franquin. Reencontramos o tom terno e brincalhão do desenhador, o seu humor inocente e a sua deliciosa Palômbia, um concentrado de imagens sobre a América Latina.”
Florence Colombani, Le Point