“Uma ritmada comédia musical com uma inesperada história de amor!”

LISBOA | CINEMA SÃO JORGE | 8 OUTUBRO | 19H30
LISBOA | INSTITUT FRANÇAIS DU PORTUGAL | 10 OUTUBRO | 19H45
FARO | TEATRO MUNICIPAL DE FARO | 19 DE OUTUBRO | 19H30
COIMBRA | TAGV | 28 OUTUBRO | 18H

COM: Leïla Bekhti, Benjamin Siksou, Cécile Cassel, Marie-sohna Conde, Abel Jafri, Chantal Lauby, Cheïna Correa Lafaure | ARGUMENTO: Audrey Estrougo, Juliette Sales, Aline Mehouel | FOTOGRAFIA: Guillaume Schiffman | SOM: Cyril Moisson | MÚSICA ORIGINAL: Baptiste Charvet | MONTAGEM: Sophie Reine | PRODUÇÃO: Fidélité Films, Wild Bunch, Mars films, France 2 Cinéma | ORIGEM: França | VENDAS INTERNACIONAIS: Wild Bunch | ESTREIA EM FRANÇA: 23/02/2011

Presença em festivais
Mostra – Festival international du film de São Paulo (2011)

O filme
Gabriel é um jovem pouco ambicioso de uma família rica parisiense. Por sua vez, Leila, uma estudante de Direito, de origem árabe, vive entre uma luta desenfreada na defesa de imigrantes ilegais e um irmão com tendência a envolver-se em confusões.
É no dia em que Gabriel quase atropela o irmão de Leila, que se dá o choque entre dois mundos diferentes e o início de uma fogosa história de amor que vai colidir com a realidade.

A realizadora
Audrey Estrougo, na sua primeira longa-metragem, Regarde-moi (2007), utilizou uma realidade que conhece bem para retratar os problemas de exclusão social e as dificuldades económicas que se vivem nos subúrbios parisienses. Uma estreia marcada pela coragem de uma jovem realizadora, que reaparece agora com Toi, moi, les autres, uma inesperada comédia musical que se vai debater com a situação da imigração ilegal em França.

Nota de intenções da realizadora
“Estávamos todos de acordo no facto de se tratar de uma comédia musical assumida. Já tínhamos uma história do tipo Romeu e Julieta mas eu queria dar-lhe mais profundidade, incluindo aspectos que me são caros, como o tema da imigração ilegal.

Sobre o filme
“Se o argumento é algo simples, não escondemos o nosso prazer em seguir – trauteando as canções do filme – a história de amor de Gabriel e Leila, uma piscadela de olhos a Romeo e Julieta. A banda sonora deste musical à francesa é formidável.”
Alain Grasset, Le Parisien

“Apesar da falta de sentido de alguns dos números musicais, a ausência de cinismo do filme acaba por ser tão tocante como uma canção de amor. E não era esse o objectivo?”
Julien Welter, L’Express