Louis Malle: retrospetiva a um dos maiores realizadores da história do cinema francês

Cinemateca Portuguesa, em parceria com a Festa do Cinema Francês, exibe 30 obras, de 2 a 30 de novembro.

Fogo Fátuo de Louis Malle


Louis Malle - O Rebelde Solitário é o título da retrospetiva que a Festa do Cinema Francês dedica ao realizador Louis Malle (1932-1995), em parceria com a Cinemateca Portuguesa - Museu do Cinema, e que cobre um arco de quatro décadas da carreira do realizador, permitindo conhecer, ou rever, cerca de 30 títulos da sua extensa filmografia.

A partir do dia 2 de novembro a Cinemateca Portuguesa exibe longas, curtas-metragens e documentários de Malle, que começou a sua carreira como ajudante de Jacques Cousteau, com quem realizou o documentário O Mundo do Silêncio (1956), o primeiro filme submarino comercializado e que ganhou a Palma de Ouro no Festival de Cannes. Já a solo na realização, estreia em 1958 Os Amantes, uma obra icónica da sua carreira, protagonizada por Jeanne Moreau, e que escandalizou meio mundo pela liberdade e ousadia com que Malle se atreveu a filmar o adultério e uma cena de sexo, nunca antes vista em cinema.

Em 1960 cria a comédia Zazie no Metro, baseada no livro de Raymond Queneau, e em 1962 Vida Privada, com Brigitte Bardot e Marcello Mastroianni nos principais papéis, sobre o mundo do cinema e o "star-system". A sua quinta longa-metragem é Fogo Fátuo (1963) sobre um homem de 30 anos que vive numa instituição psiquiátrica, depois dos últimos anos de dependência alcoólica e que, embora aparentemente recuperado, não consegue subir à tona – “cai pelas falhas da história”, como escreveu um crítico sobre o filme – e põe de facto termo à sua vida.

Com um trabalho bastante frutífero, Malle realizou ao longo da sua carreira dezanove longas de ficção e vários documentários (Calcutta, Place de la République), curtas documentais (Bons Baisers de Bangkok, Vive le Tour) e ainda uma mini-série para a televisão francesa sobre a Índia, intitulada L’Inde Fantôme.

Em 1976, Louis Malle muda-se para os Estados Unidos da América e realiza Menina Bonita (1978) com Susan Sarandon e a debutante Brooke Shields. Segue-se Atlantic City, USA (1980), My Dinner with Andre (1981), Crackers (1984) e Alamo Bay (1985). Numa última viagem profissional a França, realiza, em 1987, Adeus Rapazes, que lhe valeu o Leão de Ouro no Festival de Veneza e o prémio da crítica em França, uma história autobiográfica da sua infância, passada numa escola católica e a amizade com um menino judeu levado pela Gestapo, e Os Malucos do Maio (1990).

Depois de Relações Proibídas (1992), que realizou em Londres, Malle termina a sua carreira em Nova Iorque, com um filme de teor quase experimental, Vanya, 42e Rue (1994), em que capta, num teatro em ruínas, uma leitura/encenação da obra Tio Vânia, de Anton Tchékov.


LOUIS MALLE - O REBELDE SOLITÁRIO

LE MONDE DU SILENCE, 1956, Documentário, 86’

LES AMANTS, 1958, Drama, 91’

ZAZIE DANS LE MÉTRO, 1960, Comédia, 89’

VIE PRIVÉE, 1962, Drama, 103’

LE FEU FOLLET, 1963, Drama, 109’

VIVA MARIA!, 1965, Comédia, Aventura, 117’

VIVE LE TOUR, 1962, Documentário, 18’

BONS BAISERS DE BANGKOK, 1964, Documentário, 15’

WILLIAM WILSON, 1968, Fantástico

LE VOLEUR, 1967, Comédia dramática, 122’

L’INDE FANTÔME, Episodes 1 à 7, 1969, Documentários

CALCUTTA, 1969, Documentário, 100’

LE SOUFFLE AU COEUR, 1971, Drama, 119’

PLACE DE LA RÉPUBLIQUE, 1974, Documentário, 95’

LACOMBE LUCIEN, 1974, Drama, Romance, Guerra, 138’

HUMAIN, TROP HUMAIN, 1974, Documentário, 75’

BLACK MOON, 1975, Fantástico, 100’

PRETTY BABY, 1978, Drama, 110’

ATLANTIC CITY, 1980, Drama, 104’

MY DINNER WITH ANDRÉ, 1981, Drama, 110’

CRACKERS, 1984, Comédia, Aventura, 92’

ALAMO BAY, 1985, Drama, 98’

GOD’S COUNTRY, 1985, Documentário, 95’

À LA POURSUITE DU BONHEUR, 1986, Documentário, 80’

AU REVOIR LES ENFANTS, 1987, Guerra, Drama, 103’

MILOU EN MAI, 1990, Comédia dramática, 108’

DAMAGE, 1992, Drama, Romance, 115’

VANYA, 42E RUE 1994, Comédia dramática, 119’