• White Facebook Icon
  • White Twitter Icon
  • White YouTube Icon
  • White Instagram Icon

CONVIDADOS

QUEM VEM PARA A FESTA

AGNÈS JAOUI

AGNÈS JAOUI

Agnès Jaoui ficará para sempre conhecida em Portugal como a realizadora, a meias com o marido Jean-Pierre Bacri, do enorme sucesso que foi O gosto dos outros (2000). Jaoui é outra das realizadoras seguidas com toda a atenção pela Festa do Cinema Francês e foi madrinha da 14.ª edição, a de 2013, sendo também actriz, argumentista (nomeadamente de grandes sucessos de Alain Resnais) e cantora.

ALAIN RAOUST

ALAIN RAOUST

Realizador, Alain Raoust, vem emLisboa apresentar o seu filme Rêves de Jeunesse no CinemaSão Jorge no dia 10 de Outubro. Alain Raoust estudou na Universidade Paris 8, antes de tornar-se assistente de direção. Dedicou-se num primeiro tempo ao cinema experimental e realizou várias curtas-metragens, antes de voltar a uma narrativa mais tradicional. Em 2002o seu filme La Cage foi premiado aoFestival de Locarno (Prémio da Crítica Internacional e Prémio Ecumênico).

ALICE ODIOT & JEAN-ROBERT VIALLET

ALICE ODIOT & JEAN-ROBERT VIALLET

Antiga jornalista, Alice Odiot passou para o cinema documental em 2005 e começou por investigar a realidade actual do trabalho e os meandros da alta finança num conjunto de trabalhos para televisão, como em La Mise à mort du travail (de Jean-Robert Viallet), um filme em três partes, que recebeu o prémio francês Albert Londres de jornalismo em 2010. Em 2012 voltou a receber esse mesmo prémio com Zambie, à qui profite le cuivre? sobre a rapina das matérias-primas em África por parte de empresas fr

ANDRÉ MARQUES

ANDRÉ MARQUES

André Marques (1984, Setúbal, Portugal) estudou cinema na Escola Superior de Teatro e Cinema é um multi-premiado argumentista/realizador portugês. O seu trabalho tem-se multiplicado em várias vertentes – ficção, experimental, documentário – com filmes e projectos seleccionados em festivais de renome internacional como o Festival de Berlim, Biennale de Veneza, Palm Springs, Leeds, Curtas Vila do Conde, Gijón, Doclisboa, entre outros.

ANNE FONTAINE

ANNE FONTAINE

Anne Fontaine (1959) viveu até aos 15 anos em Lisboa e fala um português perfeito. É bailarina de formação, que começou por estudar no Conservatório de Lisboa, mas nos anos 80 iniciou a carreira como actriz. O seu primeiro filme como realizadora, Les histoires d’amour finissent mal… en général (1993), recebeu logo o Prémio Jean Vigo. Dois anos mais tarde surge com a média-metragem Augustin, personagem que reaparecerá nas longas Augustin roi du kung-fu, de 1999, e Nouvelle chance, de 2006.

AUDE-CHEVALIER BEAUMEL & MARCELO BARBOSA

AUDE-CHEVALIER BEAUMEL & MARCELO BARBOSA

Aude-Chevalier Beaumel (1982) estudou Belas-Artes em Montpellier e foi na periferia de Porto Alegre (bem no sul do Brasil) que realizou a sua primeira curta-metragem, Confessions. Em 2005, interessada nas práticas religiosas afro-brasileiras, apresentou as curtas Calunga e Entrevistas. Vive no Brasil desde 2007 e tem trabalhado como assistente de realização em diferentes filmes brasileiros, além de apresentar exposições de fotografia.

CÉDRIC LE GALLO & MAXIME GOVARE

CÉDRIC LE GALLO & MAXIME GOVARE

Maxime Govare é realizador e argumentista. O seu primeiro filme, de 2015, corealizado com Noémie Saglio, intitulava-se muito justamente Toute première fois e recebeu logo o Grande Prémio do Festival Internacional do Cinema de Comédia de Alpe d’Huez, além de um prémio de interpretação. No ano seguinte começou a preparar Daddy Cool, que saiu em 2017. Agora surge com Les Crevettes pailletées, a bem-humorada viagem de uma equipa amadora e gay de pólo aquático que coassina com Cédric Le Gallo.

FINNEGAN OLDFIELD

FINNEGAN OLDFIELD

Aos 15 anos, em 2003, Finnegan Oldfield deixou a escola e meteu-se nos telefilmes. Não enquanto espectador mas mesmo como actor, coisa que já vinha de família. Foi depois juntando pequenos papéis no cinema, como em Les Hauts Murs (2008), de Christian Faure. O primeiro papel importante surge em 2011, no thriller Mineurs 27, de Tristan Aurouet. Com uma carreira em crescendo e com vários filmes, é com a longa-metragem de Anne Fontaine Marvin ou la Belle Education (2017) que chega ao papel principal

HUGO GÉLIN

HUGO GÉLIN

Proveniente de uma família de gente do cinema e das artes em geral (o pai era produtor, os avós actores, o bisavô pintor e membro da Resistência), Hugo Gélin começou pela publicidade, a meio dos anos 2000. Em 2012 escreveu, produziu e realizou a sua primeira longa-metragem, Comme des frères, que foi logo nomeada para dois Césares. No ano seguinte foi co-autor do argumento de La cage dorée (o bem-sucedido filme luso-francês A gaiola dourada, de Rúben Alves.

JEAN-FRANÇOIS RICHET

JEAN-FRANÇOIS RICHET

Jean-François Richet (1966) não tem o percurso tradicional do realizador de classe média. Cresceu num bairro social dos subúrbios de Paris, trabalhou vários anos como operário metalúrgico e cresceu a ver filmes soviéticos de Vertov a Eisenstein. État des lieux, de 1995, foi o seu primeiro filme, de baixo e orçamento e grande sucesso. Ma 6-T va crack-er (1997) foi o filme seguinte, ainda com actores não profissionais.

20 anos da Festa do Cinema Francês

Acompanhe a programação por cidade

Endereços e outras informações importantes

ASSINE A NOSSA NEWSLETTER

e saiba tudo sobre a 21ª Festa do Cinema Francês

A 21ª FESTA DO CINEMA FRANCÊS É REALIZADA POR

© 2020 Festa do Cinema Francês e Jangada